Uma projeção do agro para 2022

Cenário para 2022 é de expansão de áreas plantadas, mas com alerta sobre custos de produção. Por Xico Graziano

Por |
Uma projeção do agro para 2022
11deJaneirode2022ás15:08

A pandemia oscila, a vacinação contra a Covid-19 avança. Embora as incertezas permaneçam, a agricultura brasileira abre animada as portas de 2022, mas muito preocupada com a elevação dos custos da produção.

As estimativas indicam que a área plantada vai crescer 4,1% em relação à safra passada, liderada pela expansão do algodão em 9,3%. Soja (3,5%), milho (2,5%) e arroz (0,3%) também ampliarão seus cultivos para 2022.

Dureza será pagar as contas. Os fertilizantes aumentaram assustadoramente seus preços, e o plantio da segunda safra e do trigo vai doer no bolso do agricultor.

Tudo aumentou de preço na economia rural, a começar pelo óleo diesel. Arame de aço, medicamentos veterinários, defensivos, todos os insumos irão impactar a rentabilidade do agro em 2022. 

Estudo da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) estima elevação de custo operacional das principais lavouras, entre 34% no arroz, 31% no café e 16,4% na soja. Piora o fato de que boa parte dos componentes químicos é importada – na proporção de 60% dos defensivos e acima de 70% dos fertilizantes. É preocupante.

Tudo depende da dinâmica do mercado internacional, que anda controversa. Relatório do Rabobank é otimista com o cenário do mercado global. Mas a Organização Mundial do Comércio (OMC) indica que o comércio de mercadorias anda desacelerando.

O mercado de soja dificilmente voltará aos elevados preços recentes. E o milho, face ao aumento da safra mundial, no máximo manterá o patamar atual. Projeções.

Nas energias renováveis, o governo recuou, anunciando a manutenção da mistura de biodiesel ao diesel convencional em 10%, deixando de elevá-la para 13% em 2022, conforme estabelece a política nacional de biocombustíveis. O Brasil vai deixar de produzir cerca de 2,4 bilhões de litros de biodiesel. 

Caiu, assim, a previsão, que era de produzir 8,6 bilhões de litros, para 6,2 bilhões de litros de biodiesel em 2022. Marcha a ré na economia de baixo carbono.

A grande incógnita de 2022 advém das eleições majoritárias. Permanece Bolsonaro, volta Lula, ou vence a terceira via? Vai dar muita polêmica. Mas para o agro tecnológico, moderno e sustentável do Brasil, aquele que é empreendedor, no fundo importa o seguinte: se o governo não atrapalhar, já está bom demais!

Cargando...