Exportação da agropecuária sobe 27,1% até maio

País também alcançou recordes mensais em valor de exportações e na corrente de comércio

Por |
Exportação da agropecuária sobe 27,1% até maio
13deJunhode2022ás16:12

As exportações da agropecuária “dentro da fazenda” cresceram 27,1% de janeiro a maio deste ano em comparação com o mesmo período de 2021 e atingiram US$ 32,51 bilhões.

Os dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) divulgados hoje mostram também que outros produtos do agronegócio também contribuíram para o aumento de 20,3% nas exportações do país (US$ 131,09 bilhões) e garantiram o superavit (US$ 25,13 bilhões), ainda que 6,4% menor.

O país também conseguiu o maior valor de exportações mensal com US$ 29,6 bilhões e também a maior corrente de comércio em um mês com US$ 54,4 bilhões na história. 

Resultados mensais

Em maio, o desempenho dos setores foi o seguinte: crescimento de 0,2% em Agropecuária, que somou US$ 7,95 bilhões; queda de 4,5% em Indústria Extrativa, que chegou a US$ 6,12 bilhões e, por fim, crescimento de 19,4% em Indústria de Transformação, que alcançou US$ 15,46 bilhões.

A expansão das exportações na agropecuária foi puxada, principalmente, pelo crescimento nas vendas dos seguintes produtos trigo e centeio (1.204.797,1%), milho não moído, exceto milho doce (9.260,6%) e café não torrado (29,0%).

Na indústria de transformação, os produtos agro que subiram foram carne bovina fresca, refrigerada ou congelada (50,9%), farelos de soja e outros alimentos para animais (excluídos cereais não moídos), farinhas de carnes e outros animais (42,9%) e gorduras e óleos vegetais, “soft”, bruto, refinado ou fracionado (93,3%).

Outros caíram. Entre eles, frutas e nozes não oleaginosas, frescas ou secas (37,8%), Soja ( -6,6%) e Algodão em bruto (-10,0%) na Agropecuária e carne suína fresca, refrigerada ou congelada (-23,5%), Açúcares e melaços (-29,3%) e Ouro, não monetário (excluindo minérios de ouro e seus concentrados) (-17,1%) na Indústria de Transformação.

Acumulado

No acumulado até maio, quando comparado com o mesmo período do ano anterior, os resultados por setores foram os seguintes: crescimento de 9,6% em Agropecuária, expansão de 121,6% em Indústria Extrativa e crescimento de 25,7% em Indústria de Transformação.

Esta conjuntura de crescimento nas importações foi influenciada pelo crescimento das compras dos seguintes produtos: pescado (50,7%), Trigo e centeio, não moídos (9,4%) e Cevada, não moída (55,5%) na Agropecuária.

Cabe um destaque importante para o aumento de 261,4% nas importações de adubos ou fertilizantes químicos no período.

Cargando...