Argentina mira recorde anual de US$ 90 bi em exportações

Brasil é o principal parceiro comercial no período, ao lado de China e Estados Unidos

Por |
Principais produtos exportados foram trigo e milho.

Principais produtos exportados foram trigo e milho.

19deJulhode2022ás15:15

A Ministra da Economia, Silvina Batakis, e o Chanceler Santiago Cafiero, reuniram-se para analisar o crescimento das exportações e esperam finalizar no ano em torno de US$ 90 bilhões, sendo o volume máximo da história.

Até o momento, eles acumulam nos primeiros seis meses do ano e chegam a US$ 44,5 bilhões. As exportações registraram níveis recordes nos primeiros 5 meses do ano, chegando a US$ 35,917 bi, sendo o maior valor histórico para este período e superando em 13% o recorde de janeiro-maio de 2013.

Os produtos exportados com maior crescimento foram trigo (US$ 1,805 bilhão), milho (US$ 998 milhões), óleos brutos de petróleo (US$ 922 milhões) e biodiesel (US$ 655 milhões) devido aos preços mais elevados, mas também cresceu em quantidade, registando as Manufaturas de Origem Industrial os maiores valores exportados desde 2013.

Os três principais parceiros da Argentina foram Brasil, China e Estados Unidos, absorvendo em juntos 26,3% das exportações e forneceram 52,0% das importações de janeiro a maio de 2022.

Por outro lado, os maiores superávits corresponderam ao comércio com o Chile (US$ 1,874 bilhão), Holanda (US$ 1,388 bilhão), India (US$ 1,386 bilhão), Peru (US$ 909 milhões), Indonésia (US$ 902 milhões) e Argélia (US$ 860 milhões).

Por fim, Batakis e Cafiero destacaram o comércio intrazona do Mercosul, que chegou a US$ 17,500 bilhões nos primeiros 5 meses, com um aumento de 19% ano-a-ano.

A Argentina aumentou as exportações 16% para o bloco e 22% de suas importações. O comércio extrazona do bloco foi de US$ 287,400 bilhões, aumentou 28% até agora este ano.

Cargando...