Agronegócio respondeu por 43,74% das exportações em abril

Superávit da balança comercial do país caiu de 13,9% em relação a março

Por |
Agronegócio respondeu por 43,74% das exportações em abril
06deMaiode2022ás10:36

O superávit da balança comercial brasileira fechou abril com queda de 13,9% em relação ao mês anterior. O resultado ocorreu, pois, as importações aumentaram 35,7% (US$ 20,75 bilhões) enquanto as exportações subiram 16,7% (US$ 28,90 bilhões) para um saldo de US$ 8,15 bilhões.

O agronegócio, considerando a agropecuária (28,52%) e agroindústria (15,22%), somou 43,74% do total das exportações ou US$ 12,64 bilhões, segundo a Secretaria de Comércio Exterior do Ministério da Economia.

No acumulado do ano até abril, em comparação a igual período do ano anterior, as exportações totais do país cresceram 23,8% e somaram US$ 101,19 bilhões. As importações cresceram 27,6% e totalizaram US$ 81,24 bilhões.

Setores da economia

Em Abril/2022, o desempenho da agropecuária foi 12,7% acima do mês anterior, com exportações de US$ 8,24 bilhões. Já a indústria extrativa teve queda de 10,2% para US$ 5,69 bilhões e a indústria de transformação teve crescimento de 35,0% para US$ 14,83 bilhões.

No caso do agro, a expansão das exportações foi puxada principalmente, por alguns produtos. No caso de produtos de “dentro da porteira”, eles foram o milho não moído, exceto milho doce (655,4%), café não torrado (53,8%) e soja ( 7,1%).

Já produtos da agroindústria, os destaques foram carne bovina fresca, refrigerada ou congelada (72,1%), farelos de soja e outros alimentos para animais (excluídos cereais não moídos), farinhas de carnes e outros animais (55,4%).

Por sua vez, ainda que o resultado geral das exportações tenha sido de crescimento, os seguintes produtos registraram diminuição nas vendas: arroz com casca, paddy ou em bruto ( -92,4%), frutas e nozes não oleaginosas, frescas ou secas (-19,7%) e madeira em bruto (-42,5%) na agropecuária. Já no caso da agroindústria, a carne suína fresca, refrigerada ou congelada (-12,3%) e açúcares e melaços ( -9,6%) também caíram em relação a março.

Cargando...