Governo zera imposto de importação de mais 7 alimentos para tentar conter inflação

Milho, carnes e farinha de trigo terão alíquota zerada a partir de hoje, de acordo com Ministério da Economia

Por |
Governo zera imposto de importação de mais 7 alimentos para tentar conter inflação
12deMaiode2022ás08:18

Em mais uma tentativa para conter a inflação, agravada com a guerra entre Rússia e Ucrânia, o Governo brasileiro decidiu zerar a alíquota do imposto de importação de sete produtos alimentícios, além de um insumo, o ácido sulfúrico (usado na produção de fertilizantes). 

A decisão foi tomada pelo Comitê-executivo de Gestão da Câmara de Comércio Exterior (Gecex/Camex), do Ministério da Economia. As tarifas entram em vigor já nesta quinta, dia 12, e a validade é prevista para até o dia 31 de dezembro deste ano. O impacto com a renúncia tributária pode chegar, de acordo com o governo, a R$ 700 milhões.

"Sabemos que essas medidas não revertem a inflação, mas aumentam a contestabilidade dos mercados.”, explicou o secretário-executivo da pasta, Marcelo Guaranys, nesta quarta, em coletiva de imprensa que anunciou a decisão.

Os produtos com alíquota de importação zerada são: carnes desossadas de bovino congeladas; miudezas e comestíveis de frango/galinha congeladas; farinha de trigo e outras misturas de trigo com centeio (exceto para semeadura); bolachas e biscoitos (com edulcorante); produtos de padaria, pastelaria e demais; e milho em grão (exceto para semeadura).

As alíquotas previamente praticadas para os itens com isenção giravam entre 16,2% (para bolachas, biscoitos e produtos de padaria/pastelaria) a 7,2% (grão de milho). Para a farinha de trigo, cujo alta nos preços tem sido preocupação mundial, o índice era de 10,8%. 

Além de zerar a alíquota nos itens citados, a Camex também reduziu o imposto sobre outros produtos importados. Um deles é o mancozebe, um tipo de fungicida, que teve queda no imposto de 12,6% para 4%. Outras quedas são valem para dois tipos de vergalhão de aço, atendendo pedidos do setor de construção civil, e que já estavam sob análise no Ministério da Economia. Esses vergalhões, que tinham imposto de importação de 10,8%, agora têm taxa de 4%.

IPCA de Abril 

Em abril, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial, fechou em 1,06%. Foi o índice mais alto para um mês de abril desde 1996 (1,26%). Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que calcula o IPCA, a inflação acumulada em 12 meses está em 12,13%.

Cargando...