Santa Catarina comemora 15 anos como Zona Livre de aftosa sem vacinação

Para comemorar a data, será realizado o 5° Fórum Catarinense de Prevenção a Febre Aftosa, no dia 24

Por |
Santa Catarina comemora 15 anos como Zona Livre de aftosa sem vacinação
19deMaiode2022ás15:14

Na lista dos cinco estados brasileiros com certificação internacional de zona livre de febre aftosa sem vacinação, Santa Catarina completa seus 15 anos da conquista em 2022. 

E para comemorar a data, a Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc), órgão do governo do Estado, com apoio da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc), realiza no próximo dia 24 de maio, o 5° Fórum Catarinense de Prevenção a Febre Aftosa

O status sanitário assegura ao estado, por exemplo, o primeiro lugar na exportação de carne suína entre todas unidades da federação e diferenciais também para exportação de carne bovina.   

O evento ocorre no Plenarinho da Assembleia Legislativa (Alesc), em Florianópolis, e terá transmissão ao vivo pela TV ALESC. O objetivo é não apenas recordar a trajetória dos pecuaristas catarinenses no período, e os benefícios, mas principalmente lembrar da importância de se manter os esforços em prol da conscientização sobre doença e prevenção. 

Livre de aftosa 

Santa Catarina recebeu a certificação de área livre de aftosa sem vacinação em 2007, após reconhecimento da Organização Mundial da Saúde Animal (OIE). Para tal conquista, houve grande mobilização no estado, desde produtores rurais, de representantes da agroindústrias e, claro, de autoridades políticas. "Por isso, a vigilância e a prevenção da Febre Aftosa devem ser permanentes, para minimizar as chances de reintrodução da doença", diz o presidente do Sistema FAESC, José Zeferino Pedrozo. 

Santa Catarina tornou-se uma ilha de sanidade em todo o País porque, paralelamente à produção de alimentos cárneos, opera um avançado e competente sistema de vigilância, fiscalização e controle sanitário que monitora todas as fases da produção pecuária. Esse sistema foi estruturado arduamente e exigiu sacrifícios, investimentos, estudos e pesquisas da sociedade”, completa Pedrozo.

Atualmente, no Brasil, além de Santa Catarina, somente os estados do Paraná, Rio Grande do Sul, Acre, Rondônia – e partes do Amazonas e do Mato Grosso - têm a certificação internacional de zona livre de febre aftosa sem vacinação. A meta do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) é que o Brasil se torne totalmente livre de febre aftosa sem vacinação até 2026.

Cargando...