Senado aprova ensino rural entre lida e sala de aula

A chamada "pedagogia da alternância" depende agora de sanção presidencial

Por |
Senado aprova ensino rural entre lida e sala de aula
01deJunhode2022ás09:42

O Senado aprovou ontem (dia 31) projeto de lei que permite que estudantes da zona rural dividam o ano letivo entre aulas teóricas (em sala de aula) e aulas práticas no campo (geralmente em propriedades familiares ou nos arredores da escola). 

O texto, que veio da Câmara dos Deputados, institui a chamada “pedagogia da alternância” (que agora entra no rol das metodologias na Lei de Diretrizes e Bases da Educação), foi aprovado sem modificações e segue para sanção presidencial.

O relator do projeto no Senado foi o ex-senador Pedro Chaves (MS). Em seu parecer, ele afirmou que a pedagogia da alternância "tem gerado resultados significativos onde é aplicada" e que o Governo deve acompanhar novas dinâmicas educacionais, como uma forma de evitar a evasão ou exclusão na educação.

Segundo Chaves, os dados da União Nacional das Escolas Famílias Agrícolas do Brasil (Unefab) e das Associações Regionais das Casas Familiares Rurais (Arcafar), de 2018, apontavam que 270 instituições já adotavam o modelo no país, atingindo cerca de 17 mil estudantes.

Inspiração vem da França 

O método de alternância foi criado por educadores e produtores rurais franceses em 1935, e chegou ao Brasil em 1969. O deputado Helder Salomão (PT-ES), autor do texto, disse acreditar que inclusão da metodologia na LDB é uma forma de legitimar o que já ocorre em diversas escolas, como  Escola Família Agrícola, e também de valorizar os alunos do campo e o ensino rural.

Cargando...