América Latina e Caribe somam 56,5 milhões de pessoas na linha da fome

FAO indica que número aumentou 29,8% em apenas dois anos

Por |
Em apenas dois anos, treze milhões de pessoas foram empurradas para a fome nos continentes. (foto - Gettyimage)

Em apenas dois anos, treze milhões de pessoas foram empurradas para a fome nos continentes. (foto - Gettyimage)

06deJulhode2022ás16:54

O Estado da Segurança Alimentar e Nutrição no Mundo (SOFI) 2022, relatório da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), mais 4 milhões foram empurrados para a fome entre 2020 e 2021 na América Latina e no Caribe.

Isso representa uma desaceleração, mas soma-se ao aumento de 9 milhões de pessoas entre 2019 e 2020. Com o número de pessoas subalimentadas atingindo um total de 56,5 milhões em 2021, 8,6% da população.

"A situação é extremamente difícil. Em apenas dois anos, treze milhões de pessoas foram empurradas para a fome. E quatro em cada dez pessoas vivem com insegurança alimentar, enquanto ainda temos que nos preparar para os impactos da atual crise alimentar, incluindo a guerra na Ucrânia", disse o Representante Regional da FAO, Julio Berdegué.

O novo relatório da ONU afirma que, do número total de pessoas desnutridas em 2021 (823 milhões), mais da metade vive na Ásia, mais de um terço na África, enquanto a América Latina e o Caribe respondem por 7,4% da subalimentação global.

O SOFI é uma publicação conjunta da FAO, o Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (FIDA), o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), o Programa Alimentar Mundial (PAM) e o Programa Mundial de Saúde. Organização (OMS).

Cargando...