Brasil e Canadá ampliarão comércio de carnes e fertilizantes

Viagem da Ministra selou abertura do mercado canadense a proteínas bovina e suína e poderá ampliar importação de potássio. Por Daniel Duarte

Por
Brasil e Canadá ampliarão comércio de carnes e fertilizantes
15deMarçode2022ás20:11

O Brasil e o Canadá devem ampliar o comércio em dois setores estratégicos do agronegócio: fertilizantes e carnes. Os anúncios foram feitos ontem, durante a viagem da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, ao país da América do Norte.

No caso das carnes, o Canadá autorizou o início da importação de carne bovina e suína in natura do Brasil que, segundo o próprio Mapa, poderiam render US$ 150 milhões em exportações anuais. 

A ministra Tereza Cristina comemorou a conquista: “Essa abertura de mercado faz com que a gente ultrapasse os 200 mercados por mim estipulados no Ministério da Agricultura e também é uma notícia muito boa para os frigoríficos brasileiros que podem empregar e trazer renda para o interior do nosso país”, disse ao sair do encontro com o vice-ministro canadense. 

O secretário de Comércio e Relações Internacionais do Mapa, Orlando Leite Ribeiro, explica que a competitividade do Brasil nos dois produtos pode conquistar um market share relevante do mercado canadense.

“O Canadá não tem imposto de importação para suínos e agora está aberto. No caso de carne bovina, existe uma alíquota de cerca de 26,5% de importação, mas podemos ter acesso àquele mercado via uma quota da OMC de 76,4 mil toneladas, com tarifa de 0%”, disse. 

Com a abertura do Canadá, o Brasil alcançou a expressiva marca de 200 países com mercados abertos a proteínas de origem animal brasileiras e outros produtos agropecuários durante o atual governo.

Fertilizantes

A delegação brasileira também se reuniu com representantes de empresas de fertilizantes do Canadá para debater o atual momento do setor, com a redução das exportações dos insumos da Rússia e Bielorrussia.

Nos encontros, a ministra destacou a importância de as empresas canadenses ampliarem o fornecimento para o Brasil. 

Segundo a IFA (International Fertilizer Association), o Canadá é o segundo maior exportador global de fertilizantes com 14,5% do mercado. Até antes da guerra, a Rússia liderava com 15,6%.

Atualmente, o Brasil é o quarto consumidor global de fertilizantes, com cerca de 8% do total, e também o maior importador mundial. O país importa cerca de 85% de todo o fertilizante usado na produção agrícola nacional.

No caso do potássio, o percentual importado é de cerca de 95%. Em 2021, as importações brasileiras de fertilizantes foram superiores a 41 milhões de toneladas, o que equivale a mais de US$ 14 bilhões.

A Canpotex, empresa que exporta o potássio das duas principais mineradoras do Canadá, informou à ministra que pretende aumentar o volume de vendas ao Brasil para além dos atuais 4 milhões de toneladas por ano.

“Seguimos conversando com diversos fornecedores para que o nosso agro continue garantindo a segurança alimentar para o Brasil e o mundo”, ressaltou a ministra. 

Ela também se reuniu com os presidentes das empresas Brasil Potash, Gensource, Nutrien, e Fertilizer Canada, além do Vice-Ministro da Agricultura do Canadá, Paul Samson.  

Nos encontros, a ministra falou sobre a importância do potássio para a produção de alimentos no Brasil e convidou as empresas a estudarem investir em projetos no Brasil, que serão estimulados por meio do recém-lançado Plano Nacional dos Fertilizantes (PNF).

Cargando...