Marcos Montes garante continuidade de políticas no Ministério da Agricultura

Novo ministro enalteceu trabalho da antecessora, Tereza Cristina, ao levar o agro à “primeira divisão” mundial

Por
Marcos Montes garante continuidade de políticas no Ministério da Agricultura
31deMarçode2022ás19:11

O novo ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Marcos Montes, manifestou, em sua posse, realizada hoje, que dará continuidade às políticas da pasta e enalteceu os resultados obtidos pela sua antecessora, Tereza Cristina.  

Marcos Montes é médico de formação, produtor rural, casado e pai de duas filhas. Na carreira política, foi prefeito de Uberaba, deputado federal por Minas Gerais, presidente da FPA (Frente Parlamentar da Agricultura) e ex-secretário executivo do Mapa até assumir a liderança da pasta.

“Claro que é um momento único em minha vida e, quando convidado, aceitei na hora. Temos no Mapa gente da mais alta qualidade. Precisamos da capacidade, dedicação e amor dos funcionários pela defesa do agro. Em especial à Tereza que já não é mais líder nacional, mas mundial”, introduziu.

O novo ministro reiterou as conquistas do agronegócio brasileiro nos últimos anos e enfatizou que a gestão do atual governo federal visa favorecer os pequenos e médios produtores, bem como o bom desempenho geral do setor.

Segundo ele, a agropecuária brasileira, em uma analogia com o futebol, saiu da segunda divisão dentro do próprio país para chegar ao primeiro nível de importância em escala global.

“Os fertilizantes e os alimentos não podem ter sanção. O alimento é a paz do mundo. Se os países e a ONU não garantirem isso, pode haver muitos problemas. O Brasil é uma potência agroambiental e mudamos de patamar nos últimos anos. O mundo começa a nos entender”, disse.

Tereza Cristina

Poucas horas antes, a ex-ministra Tereza Cristina deixou a função em cerimônia de troca de 10 ministros que vão concorrer nas eleições de outubro deste ano.

A legislação eleitoral prevê que candidatos não podem exercer cargos do Poder Executivo por pelo menos seis meses para concorrer. Ela será candidata ao Senado pelo estado de Mato Grosso do Sul. A cerimônia reuniu o presidente da República, Jair Bolsonaro, que agradeceu o trabalho da ex-ministra.

A agora deputada federal Tereza Cristina ressaltou “desafios” de sua gestão de 3 anos e 3 meses, como a incorporação do Incra, do Serviço Florestal Brasileiro, da Agricultura Familiar e da Pesca ao Mapa.

Tereza Cristina também pontuou conquistas do setor agropecuário, como a segurança alimentar durante a pandemia da Covid-19 e também após o conflito entre Rússia e Ucrânia.

Além disso, ela destacou entrega da titulação da propriedade rural a milhares de brasileiros; o fortalecimento da agricultura familiar e do seguro rural, e a abertura de mais de 200 mercados externos desde 2019.

“Somos a potência agroambiental que somos baseados na vocação natural de nosso país, na ciência e no trabalho duro dos nossos produtores. Os produtores são verdadeiros heróis. Resilientes face às adversidades de todas as ordens, geram renda e emprego”, disse.

Cargando...