Cenoura fica 17,2% mais barata, após ser vista como “vilã” da inflação

Explicação foi a melhoria do clima para colheita e resistência a preços altos no mercado

Por |
Cenoura fica 17,2% mais barata, após ser vista como “vilã” da inflação
13deAbrilde2022ás14:51

O preço da cenoura recuou 17,2% na mesma semana em que a raiz foi apontada como “vilã da inflação” por haver registrado aumentos de até 80% em relação a um ano.

 

Nesta semana (04 a 08/04), as cotações recuaram na região produtora de São Gotardo (MG) e a cenoura “suja” foi comercializada à média de R$ 96,00/cx de 29 kg.

Segundo o Cepea, a queda pode ser explicada pela dificuldade de aceitação dos elevados preços pelo mercado e pelo sutil aumento na oferta, que continua reduzida.

Segundo a HF Brasil, as chuvas dos meses de dezembro e janeiro ainda refletem na oferta, mesmo com o clima atual favorável à produção.

A ocorrência de doenças nas raízes diminuiu, tanto pelas condições climáticas quanto por tecnologias aplicadas em algumas áreas, como um sistema de logística refrigerada, que reduz as perdas com descarte no pós-colheita.

A “mela”, uma das doenças mais recorrentes na praça nesta safra, já está bem controlada em São Gotardo.

Quanto à safra de inverno, segue com bom desenvolvimento e o clima favorável deve auxiliar a produção das raízes que serão colhidas futuramente. Para as próximas semanas, a expectativa é de manutenção deste cenário e, possivelmente, nova queda dos preços.

Disparada

O mês de março, no entanto, foi marcado pelo aumento expressivo dos preços da cenoura em todo território nacional. Nas principais praças produtoras, São Gotardo (MG) e Cristalina (GO), a caixa de 29 kg de “suja” foi vendida, em média, a R$ 130,28, recorde real de toda a série histórica do Hortifruti/Cepea, iniciada em 2008.

O valor representou 83,42% de aumento em relação ao mesmo período do ano passado, o que levou a cenoura para o topo dos itens da cesta básica com mais elevação de preços em 12 meses. O segundo foi o café (61,19%).

O cenário é justificado pela baixa oferta em todas as regiões, devido às condições climáticas desfavoráveis. Em MG e GO, as constantes chuvas assolaram as plantações, causando doenças e descartes.

Cargando...