Brasil e China firmam acordos bilaterais para ampliar comércio agro

Novos protocolos incluem exportações farelo de algodão, carne bovina processada e melão, além da importação de peras

Por |
Brasil e China firmam acordos bilaterais para ampliar comércio agro
24deMaiode2022ás09:55

Brasil e China firmaram nesta segunda (dia 23) quatro protocolos para ampliar o comércio bilateral, além de planejar outros até o final de 2022.

O anúncio ocorreu durante sessão plenária virtual da Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível para Cooperação e Concertação (Cosban), que atua justamente para o avanço das relações comerciais bilaterais no agronegócio. 

No encontro de ontem, os protocolos firmados incluem exportação de farelo de algodãocarne bovina termoprocessada e melão do Brasil para a China e importação de peras da China para o Brasil.

Ainda na reunião, os representantes dos dois países também acordaram sobre a continuidade do processo de habilitação de estabelecimentos brasileiros exportadores de laticínios e produtos cárneos para ao país asiático e comemoraram a retomada da venda da carne bovina nacional para os chineses.

O Brasil suspendeu as exportações da carne bovina para a China, entre setembro e dezembro do ano passado, após casos atípicos de Encefalopatia Espongiforme Bovina (também conhecido como o mal da vaca louca).

Em fevereiro, com a retomada das vendas, o Brasil registrou o melhor fevereiro da história com exportação de 182.341 toneladas de carne bovina e receita de US$ 975,8 milhões, segundo dados da Abrafrigo (Associação Brasileira de Frigoríficos).

Balanço do comércio agrícola 

A sessão anterior do Cosban foi realizada em maio de 2019.  Por este motivo, os dois países também aproveitaram o encontro para apresentar um balanço do comercio agrícola no período.

Foram concluídas, como exemplo, as visitas de inspeção para amparar exportações brasileiras de farelo de soja, proteína concentrada de soja, aves e ovos e soro sanguíneo bovino à China. Já por parte das exportações chinesas, as auditorias finalizadas ocorreram em estabelecimentos produtores de envoltórios naturais para Brasil. 

Durante a sessão do Cosban, os governos anunciaram a conclusão das negociações para o início de exportações brasileiras de milho e amendoim para a China e deram início aos planos de assinatura de protocolos relativos às exportações brasileiras de farelo de soja, proteína concentrada de soja, polpa cítrica e soro fetal bovino.

Este último tema volta a ser debatido na próxima reunião da Subcomissão de Inspeção e Quarentena, que será realizada no final de junho. 

Cargando...