USDA flexibiliza conservação de 9,2 milhões de hectares nos EUA

Justificativa é a crise de abastecimento global gerada pela guerra entre Rússia e Ucrânia

Por |
USDA flexibiliza conservação de 9,2 milhões de hectares nos EUA
30deMaiode2022ás09:53

O Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) permitirá que os participantes do Programa de Reserva de Conservação (CRP, Conservation Reserve Program, em inglês) possam produzir em áreas subsidiadas para preservação ambiental já a partir deste ano.

O anúncio ocorreu na semana passada no próprio site do órgão. O programa remunera atualmente cerca de 9,2 milhões de hectares de produtores rurais estadunidenses como uma espécie de aluguel pago pelo governo federal para que eles mantenham áreas de florestas nativas.

No Brasil, como comparação, os produtores rurais devem conservar entre 20% e 80% da mata nativa em duas propriedades, dependendo do bioma, sem receber compensações financeiras. Inclusive, o novo Código Florestal brasileiro completou 10 anos na semana passada.

A única exigência é que tais agricultores estejam no último ano de seu contrato solicitem a rescisão por escrito. O governo também não exigirá ressarcimento. A justificativa da USDA é ajudar a mitigar os desafios globais de abastecimento de alimentos causados ​​pela invasão russa da Ucrânia e outros fatores.

“Este medida ajudará os produtores a tomar decisões informadas sobre o uso da terra e as opções de conservação”, disse. Zach Ducheneaux, Administrador da Agência de Serviços Agrícolas do USDA (FSA).

Além do CRP, o USDA também anunciou flexibilidades adicionais para o Programa de Incentivos à Qualidade Ambiental (EQIP) e o Programa de Manejo de Conservação (CSP).

“A invasão injustificada de Putin na Ucrânia cortou uma fonte crítica de trigo, milho, cevada, oleaginosas e óleo de cozinha, e ouvimos muitos produtores que querem entender melhor suas opções para ajudar a responder às necessidades globais de alimentos”, acrescentou.

Os produtores poderão iniciar as atividades de preparação da terra e plantar uma safra de grãos de outono antes de 1º de outubro de 2022. Para terras em climas mais frios, essa flexibilidade pode permitir um melhor estabelecimento de uma safra de trigo de inverno ou preparar melhor a terra para o plantio de primavera.

A FSA está enviando cartas aos produtores para detalhar essas opções, como reinscrever hectares sensíveis na inscrição contínua do CRP e considerar o cultivo de culturas orgânicas.

Cargando...