Paraná dá a largada na colheita para 2ª safra de milho

Estado prevê produção recorde de 16 milhões na "safrinha" 2021/2022

Por |
Paraná dá a largada na colheita para 2ª safra de milho
15deJunhode2022ás16:12

Com chances de produção recorde, o Paraná deu a largada na colheita da segunda safra de milho. Dados divulgados nesta quarta (dia 15) pelo Departamento de Economia Rural (Deral) apontam para a extração do grão em 1% da área total estimada em 2,7 milhões de hectares para o ciclo. 

A expectativa é que, se as condições climáticas colaborarem e houver redução de chuvas, haverá avanço no ritmo já na segunda quinzena de junho. De acordo com os técnicos de campo, a situação atual aponta para: 32% da área em fase de maturação, 62% em frutificação e 5% em floração.

O assunto está no Boletim de Conjuntura de Apropecuária, referente ao período de 10 a 15 de junho, que traz informações sobre outras culturas como trigo, soja e mandioca, além de balanço da pecuária nacional.

Sobre a safra nacional de milho 2021/22, e de acordo com previsão da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a estimativa é chegar em 115,2 milhões de toneladas.

O número representa uma alta de 32% na comparação com a safra anterior, bastante castigada pelas adversidades climáticas.

A previsão é que o Paraná tenha uma produção recorde de 16 milhões na segunda safra. Somado aos pouco mais de 2,9 milhões de toneladas da primeira safra, o Estado será responsável por quase 19 milhões de toneladas, mantendo-se na segunda posição nacional.

Cenário mundial para trigo e soja

O boletim do Deral alerta para falta de trigo em um cenário mundial ao citar o relatório “Wasde”, divulgado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, sobre quebra na produção de trigo na Índia. Se confirmado, o impacto global pode ser de  773,4 milhões de toneladas a menos que no ciclo anterior.

No caso da soja, o documento diz que a previsão atualizada da Conab é de que o Brasil produza 124,3 milhões de toneladas, o que representa 13,9 milhões a menos que na safra anterior. Segundo o relatório, na região Sul a redução é de aproximadamente 45% na produção, totalizando pouco mais de 19 milhões de toneladas.

Chuva castiga produtores de mandioca

O boletim destaca também a dificuldade que os produtores de mandioca vem enfrentando na colheita, em razão do volume grande de chuvas nas duas últimas semanas. Com menor oferta de matéria-prima para as indústrias, os altos preços aos produtores se mantêm.

Na última semana, eles receberam, em média, R$ 778,00 pela tonelada de mandioca entregue na indústria. Isso representa aumento de 1,2% em relação à semana anterior. Na safra 2021/22, a produção estimada é de 2,8 milhões de toneladas de mandioca em 130 mil hectares plantados no Paraná.

 

Cargando...