Exportações do agro ultrapassam US$ 15 bi em maio

Vendas externas da carne bovina subiram 49,7% e são destaque; no total, alta foi 14,2% frente a maio de 2021

Por |
Exportações do agro ultrapassam US$ 15 bi em maio
27deJunhode2022ás16:46

As exportações do agronegócio brasileiro atingiram US$ 15,11 bilhões em maio, de acordo com informações da Secretaria de Comércio de Relações Internacionais, ligada ao Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento, divulgadas nesta segunda (dia 27).

Os números representam uma alta de 14,2%, na comparação com o mesmo período do ano passado.

Porém, mais dinheiro, não significa mais vendas. Isso porque o  volume de produtos exportados apresentou queda de 12,6%, também frente a maio de 2021.

Para o Mapa, o aumento no valor vem da elevação nos preços médios de exportação dos produtos agropecuários brasileiros. 

Já a redução de volume exportado está relacionada a soja em grão, cuja vendas apresentaram queda de 4,3 milhões de toneladas em maio de 2022, na comparação com 2021.

Ainda assim, o complexo de soja responde pela maior participação nas exportações totais brasileiras no período, representando 53,9%.

O setor ainda registrou valor recorde em maio, com US$ 8,15 bilhões – número que é 6,2% superior na comparação com o exportado em maio de 2021.

De acordo com o Mapa, o aumento dos preços médios de exportação dos produtos do complexo explica a “balança”, uma vez que eles subiram, em média, 39%.

Vale ressaltar que nos cinco primeiros meses de 2022, as exportações brasileiras do agronegócio somaram US$ 63,62 bilhões (+29,0%), valor também histórico para o período. O recorde anterior (de janeiro a maio) foi em 2021, quando as exportações registraram US$ 49,33 bilhões.

 

Carnes em alta

Depois da soja, os quatro maiores setores exportadores do agronegócio em maio foram: carnes (14,8% de participação); produtos florestais (10,4% de participação); complexo sucroalcooleiro (4,4% de participação); e café (4,2% de participação). 

As exportações de carnes confirmaram-se como "a bola da vez" e registraram alta de 34,3%, atingindo recorde de US$ 2,23 bilhões. Destaque para as vendas externas de carne bovina que subiram 49,7% (alcançando US$ 1,08 bilhão).

O complexo sucroalcooleiro foi o único do grupo que apresentou redução nas vendas externas. O valor exportado caiu de US$ 848,23 milhões em maio de 2021 para US$ 659,28 milhões em maio de 2022 (-22,3%). A queda ocorre em função, principalmente, da redução do volume exportado de açúcar (-36,4%). 

Fertilizantes lideram entre Importações

Nenhuma surpresa quando o assunto são as importações brasileiras: que registram alta de 25,3%, somando US$ 1,53 bilhão. O "protagonismo" segue com os fertilizantes que registraram alta de 277,8% e somaram US$ 3,11 bilhões, na comparação com maio de 2021. O volume importado aumentou 56,7%, passando de 2,6 milhões de toneladas para 4,07 milhões de toneladas em 2022. 

O principal fator responsável pelo incremento das importações de fertilizantes foi a elevação do preço médio de aquisição da tonelada, que subiu 141,2%, chegando a US$ 763,9 por tonelada.

Em maio de 2022, os cinco principais países fornecedores de fertilizantes para o Brasil foram: Rússia (US$ 881,10 milhões; 28,4% de participação); Canadá (US$ 373,09 milhões; 12,0% de participação); Marrocos (US$ 3646,60 milhões; 11,7% de participação); Estados Unidos (US$ 152,02 milhões; 4,9% de participação); e Omã (US$ 141,30 milhões; 4,5% de participação).

 

Cargando...