CNI eleva projeção de crescimento do PIB para 1,4%

Expansão no agro, entretanto, caiu de 1,3% para 0%

Por |
CNI eleva projeção de crescimento do PIB para 1,4%
08deJulhode2022ás09:52

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou nesta sexta-feira (dia 8) seu relatório de Informe Conjuntural do 2º trimestre de 2022 no qual elevou de 0,9% para 1,4% a projeção de crescimento da economia nacional neste ano. 

A nova previsão foi baseada no desempenho econômico do primeiro trimestre, após queda no indicador de 1,2%, previsto em janeiro, para 0,9%, influenciado pela guerra na Europa e os locksdowns na China dos primeiros meses do ano.

A má notícia, entretanto, é que a agropecuária foi o único setor entre os analisados pela CNI com redução na projeção do produto interno bruto (PIB) para 2022.

Isso porque, os eventos climáticos adversos e impactos negativos no campo reduziram as previsões de 1,3% de crescimento para estabilidade (0%). 

Vale lembrar que, no início de julho, o Ipea também revisou para cima a projeção no PIB com alta de 1% para 1,8%.

CNI destaca: mais trabalho e maior demanda de serviço

A melhoria do mercado de trabalho e o aumento da demanda do setor de serviços estão entre os pontos positivos.

Desta forma, CNI reduziu de de 12,9% para 10,8% a expectativa da taxa média de desemprego em 2022 e aumentou a previsão de crescimento da massa salarial real (acima da inflação) de 1,4% para 1,6% neste ano. 

A CNI também revisou para cima a previsão de crescimento para o setor de serviços, de 1,2% para 1,8%, impulsionada pela normalização pós-pandemia.

Em relação à indústria, a estimativa passou de queda de 0,2% para alta de 0,2% em 2022.

Segundo a entidade, o setor industrial registrou altas moderadas na produção no primeiro trimestre, com maior dinamismo em indústrias ligadas ao processamento de commodities (bens primários com cotação internacional). 

Inflação e juros

Jà a estimativa para a inflação oficial pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) passou de 6,3% para 7,6% em 2022. A nova projeção considera o barateamento de preços decorrente da redução do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de combustíveis, energia elétrica, telecomunicações e transporte coletivo.

Em relação aos juros básicos da economia, a CNI acredita que o aperto monetário promovido pelo Banco Central ainda não chegou ao fim. A instituição acredita que a taxa Selic, atualmente em 13,25% ao ano, subirá 0,5 ponto percentual na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) e encerrará 2022 em 13,75% ao ano.

O gerente executivo de Economia da CNI, Mário Sérgio Telles, disse acreditar que os dados do segundo trimestre, disponíveis até o momento, permitem esperar a continuidade do desempenho para os próximos meses.

Também de acordo com Telles, fatores transitórios, como o adiantamento do 13º salário para aposentados e pensionistas da Previdência, ajudaram a aquecer a economia no primeiro trimestre.

Cargando...