Ceagesp lucra R$ 27 milhões em 2021, após quatro anos de prejuízo

Aumento da receita e redução das despesas explicam o resultado

Por |
Ceagesp lucra R$ 27 milhões em 2021, após quatro anos de prejuízo
03deMaiode2022ás10:07

A Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) obteve lucro de R$ 27,382 milhões em 2021. Este é seu primeiro resultado positivo após sequência de prejuízos registrada entre os anos de 2017 a 2020.

Os números do ano passado apontam para um aumento de capital de R$ 30,072 milhões na comparação com 2020, quando o saldo terminou negativo em R$ 2,690 milhões.

De acordo com a Ceagesp, que é a maior rede pública de armazéns, silos e graneleiros do Estado de São Paulo, com 18 unidades ativas, um dos motivos para o resultado positivo foi a Receita Operacional Bruta da companhia, que atingiu a marca de R$ 152,304 milhões em 2021 -  número que representa um crescimento de R$ 19,160 milhões em comparação aos R$ 133,144 milhões de 2020.

Também influenciou no resultado a redução de despesas gerais e administrativas que caiu de R$ 56,288 milhões em 2020 para R$ 39,708 milhões no ano passado – representando uma redução de $ 16,580 milhões.

Já a análise das despesas administrativas, vendas e honorários, teve queda acentuada de R$ 29,850 milhões, após cortes de pessoal e encargos, serviços de terceiros e provisões cíveis, segundo a Ceagesp.

Outros Índices Econômicos em Alta

O EBITDA (lucro sem depreciações, amortizações, juros e tributos sobre o lucro) também registrou aumento em 2021: R$ 37,919 milhões, contra os R$ 18,697 milhões de 2020. Este índice é importante, pois ajuda a medir a produtividade e a eficiência do negócio.

Também colaboram para isso outros índices econômicos e financeiros com alta na comparação entre os exercícios de 2020 e 2021 como a liquidez corrente (que subiu de 0,59 para 1,42); a liquidez geral (de 0,73 para 0,92) e o grau de endividamento (que caiu 0,43 para 0,36).

Os números de 2021 indicam que a empresa está reagindo bem e começa a ganhar fôlego financeiro.

Milho

Também na manhã desta terça-feira, 3/5, a Ceagesp confirmou o montante de 118 de toneladas de milho entre as sobras técnicas do Graneleiro de Palmital. Em fevereiro, a unidade já havia anunciado quebras no estoque de açúcar, trigo e soja.

A sobra técnica é apurada quando do zeramento do estoque fiscal de um produto estocado que ainda reste no armazém. Desta forma, as 118 toneladas milho devem retornar a quem o armazenou, no caso a empresa Tereos, que tem uma fábrica de amido de milho no município.

Cargando...