Governo brasileiro diz "estar atento" a risco de faltar diesel

Petrobras e MME emitiram alerta sobre chance de desabastecimento em 2022; estoque cobre 38 dias

Por |
Governo brasileiro diz "estar atento" a risco de faltar diesel
30deMaiode2022ás14:06

O Ministério de Minas e Energia emitiu na última sexta (dia 28) comunicado em que afirma “estar atento" ao abastecimento nacional de combustíveis

E garante que: "desde o início do conflito Rússia x Ucrânia, o governo brasileiro vem adotando medidas para o intensificar o monitoramento dos fluxos logísticos e da oferta de petróleo, gás natural e seus derivados, nos mercados doméstico e internacional.”

O documento, publicado no site do MME, é uma resposta a carta enviada para imprensa, na semana passada, pelo conselho da Petrobras, sobre a possibilidade de falta diesel no País, especialmente no segundo semestre.

De acordo com a Petrobras, é necessário um plano para racionamento emergencial do combustível, com sugestão de que a Agência Nacional de Petróleo comande as ações para evitar o desabastecimento e suas consequências. 

Ainda segundo o conselho da Petrobrás, a preocupação com o segundo semestre é maior justamente por ser este, tradicionalmente, um período demanda ampliada no Brasil.

Também o fato do mercado global de óleo diesel estar ameaçado pela menor disponibilidade das exportações russas, precisa ser levado em consideração.

Vale lembrar que, em 2021, o Brasil importou 30% do diesel consumido internamente.

Governo garante controle

Através de comunicado, o Ministério de Minas e Energia afirmou que, em conjunto com a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e a Empresa de Pesquisa Energética (EPE) já iniciou a coordenação de trabalhos de diagnóstico e de acompanhamento dos principais indicadores do abastecimento nacional de combustíveis.

O MME lembrou que, em 10 de março de 2022, foi publicada a Portaria nº 623/GM/MME, com a criação do “Comitê Setorial de Monitoramento do Suprimento Nacional de Combustíveis e Biocombustíveis”, de caráter executivo, no âmbito do Ministério de Minas e Energia.

O Comitê fica responsável pelo programa “Mesa de Abastecimento de Óleo Diesel”, para acompanhamento da situação do suprimento do combustível, com o objetivo de adotar medidas e ações visando à garantia do seu abastecimento, sem prejuízo das atribuições da ANP.

Ainda de acordo com o MME, dados recentes desse Comitê apontam que o Brasil possui estoque de óleo diesel S10 equivalente a 38 dias de importação. 

“Em outras palavras, se as importações desse combustível fossem cessadas hoje, os estoques, em conjunto com a produção nacional, seriam suficientes para suprir o País por 38 dias. Além disso, desde o início da intensificação do monitoramento do abastecimento pelo Governo Federal, a autonomia de óleo diesel aumentou de 30 para 38 dias em termos de dias de importação (aumento de 26,7%).”

Troca na presidência

Ainda na semana passada, o Ministério de Minas e Energia confirmou troca no comando da Petrobras – a terceira em menos de um ano. O Governo Federal, como acionista controlador, nomeou Caio Mário Paes de Andrade para o cargo, em substituição de José Mauro Ferreira Coelho (que ficou na função por apenas 40 dias).  O aumento de 8,87% no preço do diesel teria motivado a substituição. Nesta segunda, o presidente Jair Bolsonaro disse, em coletiva de imprensa,  ser contra novos reajustes do diesel.

 

Cargando...