Consumo de cannabis medicinal no Brasil aumentou 110% em 2021

Segundo o Cepea, Brasil tem clima favorável para cultivo, mas esbarra em legislação

Por |
Consumo de cannabis medicinal no Brasil aumentou 110% em 2021
02deJunhode2022ás12:10

O consumo de produtos de cannabis medicinal no Brasil aumentou 110% em 2021, de acordo com um estudo da Associação Brasileira da Indústria de Canabinoides (BRCANN), na comparação com 2020.

A informação consta em boletim da equipe Hortifruti/Cepea, divulgado ontem (dia 1), que destaca o fato do clima brasileiro ser propício ao cultivo de cannabis. Porém, a efetivação ainda esbarra na legislação (o projeto de lei 399/2015 que regulamenta plantações para fins medicinais segue em trâmite no Senado).

Atualmente, o País importa 18 medicamentos canabinoides. "Existem apenas alguns projetos autorizados a cultivar cannabis medicinal – sendo que a maior parte é para fins de pesquisa", diz texto da equipe do Cepea. 

Parceria com o Uruguai

Associação Brasileira das Indústrias de Cannabis (ABICANN) e a Câmara de Empresas de Cannabis Medicinal (CECAM) firmaram na última quarta, acordo para elevar o aproveitamento de recursos entre Brasil e , no contexto dos mercados da Cannabis Medicinal e do Cânhamo Industrial.

O convênio é para “macro cooperação interinstitucional” com objetivo de destacar a importância dos recursos, informações, inovação e uso de tecnologias relacionado ao canabinoides, já que existe entre os dois países legislações que permitem o uso de Cannabis Medicinal.

O mercado do Cânhamo será estimulado, propiciando parcerias para desenvolvimento de tecnologias (hardwares e softwares).

“Nosso objetivo é estabelecer uma sintonia entre as necessidades dos dois países, para assegurar um bom manejo dos recursos vinculados ao uso da Cannabis Medicinal e da industrialização da planta”, define o presidente da ABICANN, Thiago Ermano Jorge.

Cargando...