OCDE aprova plano de adesão do Brasil ao grupo

Outros quatro países tiveram seus "roteiros de acessão" aprovados: Peru, Bulgária, Croácia e Romênia.

Por |
OCDE aprova plano de adesão do Brasil ao grupo
13deJunhode2022ás10:36

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) aprovou na última sexta (dia 10) o chamado “roteiro de acessão” do Brasil ao grupo, que reúne as economias mais industrializadas do mundo. 

O roteiro é, na verdade, um plano de ações para o país cumpra as diretrizes da organização e conquiste sua adesão plena. Além do Brasil, outros quatro países tiveram seus roteiros aprovados: Peru, Bulgária, Croácia e Romênia.  

Em post publicado na rede social twitter, também na sexta, a página da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência considerou que  “o ingresso na OCDE é sinal de que o Brasil está bem visto globalmente”.

E completou, dizendo que: “fazem parte da organização os países mais desenvolvidos, livres e democráticos do mundo. A entrada (do Brasil) possibilitará novos investimentos no país e beneficiará a todos os brasileiros, com mais emprego e renda”.

O presidente Jair Bolsonaro, também no twitter, comentou a aprovação do plano brasileiro de adesão à OCDE. Segundo ele, o processo consolidará parcerias benéficas para o país.

Próximos passos

O plano de adesão apresentado pelo Brasil será, agora, avaliado por comitês da OCDE nos próximos anos. O País também deverá redigir um  ‘memorando inicial’ com informações sobre a convergência aos instrumentos normativos da organização, conforme comunicado do Ministério da Economia.

“Nós já fizemos um levantamento disso e agora vamos atualizar esse trabalho, para encaminhar à OCDE. Algo que nos ajuda nesse processo é o nível de governança desse processo, feito em alto nível no governo brasileiro”, explicou secretário-executivo do Ministério da Economia (ME), Marcelo Guaranys.

Ainda segundo Guaranys, o Brasil já aderiu a cerca de 110 instrumentos da OCDE, o maior número entre os países não membros da Organização. “Temos uma participação muito efetiva, que vem crescendo muito de 2017 para cá. Uma participação consistente há muitos anos”.

Neste mês de junho, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) publicou a nota “Acessão do Brasil à OCDE: impactos econômicos esperados”, na qual estima um aumento 0,4% no Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil com a entrada na OCDE. 

O governo brasileiro estima que  entrada definitiva dos países com os planos de adesão aprovados levará pelo menos dois anos. O ingresso na organização dependerá do consenso dos 38 países que compõem a OCDE.

Cargando...