Faesp prevê alta de 20,5% na produção de laranja

Previsão é atingir 317 milhões de caixas somente no cinturão citrícola

Por |
Faesp prevê alta de 20,5% na produção de laranja
04deJulhode2022ás10:48

Dados da Federação da Agricultura e Pecuaria de São Paulo (Faesp), divulgados na última sexta-feira (dia 1), apontam para aumento de 20,5% na produção de laranjas na safra 2022/2023, na comparação com o ciclo anterior.

Com isso, a estimativa é atingir 317 milhões de caixas no cinturão citrícola de São Paulo e no Triângulo/Sudoeste Mineiro.

O levantamento é parte da Pesquisa de Estimativa de Safra (PES), realizada pelo Fundecitrus, em parceria com a Markestrat e a FEA/USP, sobre a produção de laranjas do ciclo 2022/2023. 

A área total com laranja é estimada em 387,1 mil hectares, enquanto a produtividade média projetada é de 920 caixas por hectare.

O estudo ainda destaca que o número de propriedades citrícolas continua diminuindo, evidenciando que a produção de laranja permanece sendo concentrada em estabelecimentos de maior escala. Entre 2018 e 2022, houve redução de 12,7% no número de estabelecimentos, passando de 5.882 para 5.134 propriedades dedicadas à produção de laranja. 

A Faesp explica que, para a safra de laranja 2022/23, 90% da área foi levantada diretamente no talhão, com a visita de técnicos das instituições nos pomares. Outros 7% foram levantados por meio de dados fornecidos por produtores de laranja, 2% através de dados de mapeamentos anteriores e 1% mediante uso de imagens de satélite e inferência estatística.

Safra nacional em alta 

A safra brasileira de grãos 2021/2022 registrou aumento de 6,2% na produção, em relação ao ciclo anterior, somando 271,3 milhões de toneladas até junho, de acordo com o  9º levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). As informações também foram divulgadas na última sexta-feira (dia 1) pelo Departamento Econômico do Sistema FAESP/SENAR-SP. 

Segundo o estudo, o destaque deste ciclo permanece com a cultura do milho, com produção prevista de 115,2 milhões de toneladas, o que equivale a uma alta de 32,3% frente à colheita da safra 2020/21. 

A área cultivada com milho safrinha já é a maior registrada pela Conab: de 16,46 milhões de hectares, um aumento de 9,7% frente à safra 2020/21. Com isso, a produtividade estimada é 32% superior à do último ciclo, resultando em uma produção de 88,0 milhões de toneladas (+4,9%). 

Outro destaque positivo é o trigo, que apesar da queda acentuada nas temperaturas das principais regiões produtoras (principalmente no Centro-Sul), sofreu pouco impacto e apresenta perspectiva de aumento de 8,75% na produção, prevista para 8,35 milhões de toneladas. 

Produção de soja cai 

A safra de soja vive cenário inverso. Isso porque os problemas climáticos ocorridos nos estados da região Sul e em Mato Grosso do Sul reduziram as estimativas de produção, que deve cair 10,05% e totalizar 124,27 milhões de toneladas, segundo o estudo. 

Grãos em São Paulo 

O levantamento apresentou detalhes para a produção paulista. De acordo com ele, para o Estado de São Paulo é esperado um aumento de 18,7% com relação ao ciclo 2020/2021, atingindo uma produção de 10,26 milhões de toneladas.  

 A área plantada em São Paulo é estimada em 2,5 milhões de hectares (+4,83%) e a produtividade em 4.081 kg/há, com uma alta 13,23%. 

Em comparação com o levantamento anterior, a produção paulista de grãos registra alta 3,18%, com 315,9 mil toneladas, impulsionada pelas projeções para os cultivos de milho safrinha e trigo. 

 

 

 

 

Cargando...