Ceará planeja ser livre de febre aftosa sem vacinação até 2024

Faec lançou campanha para mobilizar pecuaristas na busca pelo status

Por |
Status é fundamental para exportação da carne. rédito: Getty Images.

Status é fundamental para exportação da carne. rédito: Getty Images.

26deJulhode2022ás10:32

A Federação da Agricultura e Pecuária do Ceará (Faec) lançou ontem (dia 25) a campanha Ceará livre de febre aftosa sem vacinação, que prevê ações para que o Estado obtenha o status nos próximos dois anos. 

A iniciativa é uma parceria com a Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Ceará (Adagri). “Nós queremos que, além da autossuficiência, possamos enviar nossa carne para outros estados. E para que isso ocorra, o primeiro passo é tornar o Ceará livre da febre aftosa sem vacinação”, destacou Amílcar Silveira, presidente da Faec.

Atualmente, o Ceará já é reconhecido com o estado livre de febre aftosa com vacinação.

Para a Faec, o novo status trará redução de custos com vacinas para os pecuaristas, além de agregar valor aos produtos cearenses e abrir novos mercados.

Plano Estratégico

O processo de transição de zonas livres de febre aftosa com vacinação para livre sem vacinação está previsto no Plano Estratégico do Programa Nacional de Vigilância para a Febre Aftosa (PE PNEFA), conforme estabelecido pelo Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária (Suasa).

A meta do governo federal  é que o Brasil se torne totalmente livre da doença até 2026. Atualmente, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Acre, Rondônia, além de alguns municípios do Amazonas e do Mato Grosso possuem os certificados como zona livre de aftosa sem vacinação.

O título é conferido pela Organização Mundial da Saúde Animal (OIE) após o cumprimento de uma série de critérios previamente estabelecidos. 

Cargando...