Embrapa quer Piauí como referência na produção de frutas

Projeto pretende ampliar em 30% produtividade até 2026

Por |
Projeto quer transformar o Estado num grande polo produtor de frutas como acerola e maracujá. (Foto: Getty Images)

Projeto quer transformar o Estado num grande polo produtor de frutas como acerola e maracujá. (Foto: Getty Images)

01deAgostode2022ás14:55

Tecnologia e inovação são as ferramentas do ProFruti, projeto desenvolvido pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), para ampliar em ao menos 30% a produção de frutas, até 2026, no Piauí. 

A ideia é consolidar o Estado como um dos grandes produtores e exportadores de frutas, em especial, do Nordeste, a exemplo da Bahia, Pernambuco, Ceará e Rio Grande do Norte.

Estima-se ainda que, com maior produtividade, a região ainda tenha um acréscimo de 10% no desenvolvimento econômico no período.

“O trabalho está avançando com o arado, gradagem, correção do solo, instalação dos sistemas de irrigação e preparação das mudas das fruteiras”, conta o pesquisador Valdemício Ferreira, coordenador do ProFruti.

Transferência estratégica

Ele explica que o projeto visa a transferência de tecnologias e inovação em fruticultura para os polos dos Tabuleiros Litorâneos (Parnaíba), Platôs de Guadalupe (Guadalupe), Marrecas-Jenipapo (São João do Piauí) e Alto Canindé-Barragem Joaquim Mendes (Conceição do Canindé). 

Neles, serão construídas ainda este ano ao menos 23 unidades de referências tecnológicas. “O projeto quer transformar o Estado num grande polo produtor de frutas da região, como acerola, banana, goiaba, maracujá e uva”, espera.

Para tanto, e além dos espaços físicos, a Embrapa está oferecendo treinamentos para os técnicos da extensão rural e de produtores. Ao todo, serão realizados oito cursos, com a intenção de capacitar no mínimo 100 multiplicadores de informações. 

Planos de ação

Financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (FAPEPI), com apoio direto da Câmara Setorial Estadual de Fruticultura, o projeto tem 13 planos de ação em prol de ampliar em ao menos 30% a produção de frutas estadual em quatro anos. 

Um deles prevê justamente a instalação dos polos de produções nas regiões norte, centro-sul e sudeste, atualmente conhecidas pelas colheitas de milho e feijão, além das frutas.

A ideia é “adaptar e transferir” tecnologias de cultivo, manejo, produção e agregação de valor às fruteiras tropicais ali cultivadas, para o desenvolvimento integrado e sustentável.

Para a tarefa, o ProFruti reúne uma equipe de 13 pesquisadores, dois analistas e três assistentes técnicos, além de parceiros especialistas em melhoramentos de plantas, irrigaçãoanvisa e drenagem , fitopatologia, entomologia, pós-colheita, solo e nutrição de plantas.

 

Cargando...