Dia Mundial da Água: programa poupa 56 milhões de litros de água na pecuária

Boas práticas foram usadas em 1,4 mil propriedades leiteiras em Goiás, Minas Gerais, São Paulo e Paraná

Por
Dia Mundial da Água: programa poupa 56 milhões de litros de água na pecuária
22deMarçode2022ás18:17

O programa Boas Práticas Hídricas, desenvolvido em parceria entre a Nestlé e a Embrapa, resultou na economia de 56,8 milhões de litros de água na produção de leite.

O volume foi economizado por 1,4 mil propriedades leiteiras em Goiás, Minas Gerais, São Paulo e Paraná. A estimativa foi calculada via indicadores de eficiência hídrica medidos em uma amostra das unidades participantes no ano de 2021, em comparação com 2020.

O monitoramento das fazendas foi realizado mensalmente por meio de hidrômetros instalados em vários pontos de consumo. Com a ajuda dos técnicos, os dados coletados nos aparelhos foram lançados em planilhas ou diretamente no aplicativo Leiteria, desenvolvido pela Nestlé para auxiliar na gestão das propriedades.

O monitoramento demonstrou que houve redução na quantidade de água usada na produção por litro de leite, um indicador de eficiência relevante. Em 2021, nas fazendas monitoradas na amostra, foram ordenhadas mais de 2,7 milhões de vacas, que produziram 53 milhões de litros de leite. Em relação a 2020, houve um aumento de 5% no número de animais e, ainda assim, redução de dois litros de água por vaca em lactação e de um litro de água por litro de leite. 

“Iniciativas de apoio à redução do uso de água na produção leiteira são essenciais para sustentabilidade no campo,” declara Barbara Sollero, gerente de Milk Sourcing da Nestlé Brasil. “O Programa traz uma visão integral de temas como gestão de água e resíduos, qualidade, bem-estar animal e cuidado com o meio ambiente. Olha para os diferentes aspectos que contribuem para a jornada do desenvolvimento rural”, informa.

“Quando falamos em eficiência hídrica na produção leiteira, almejamos produzir um litro de leite com menos litros de água. Conseguimos fazer isso de forma significativa no período avaliado, passando de 5,5 litros de água por litro de leite em 2020 para 4,5 litros em 2021”, explica o pesquisador da Embrapa Julio Palhares.

Boas Práticas Hídricas

Desde 2018, a Nestlé mantém o programa Boas Práticas Hídricas, com apoio às fazendas leiteiras e instalação de hidrômetros para ajudar a mensurar o uso de água na produção. Em 2019, 20 fazendas eram monitoradas com o equipamento. O número passou para 60 em 2020 e para mais de 1.400 em 2021. Para o pesquisador da Embrapa, quantificar o uso de água é a primeira etapa para entender onde e como esse recurso é utilizado em cada propriedade.

O resultado da avaliação do programa demonstrou que o monitoramento do consumo foi suficiente para proporcionar ganhos de eficiência hídrica nessas propriedades. No entanto, a ideia do programa é fazer com que os produtores internalizem as boas práticas hídricas no dia a dia. Em 2022, 20 fazendas foram selecionadas para a implantação das ações e monitoramento dos impactos.  Para cada uma dessas fazendas, a Embrapa desenvolveu um plano de manejo ambiental. As fazendas servirão de vitrine de manejo da água e resíduos com ganhos ambientais, econômicos e sociais.

Exemplos

Em uma propriedade, em Silvânia (GO), entre 2020 e 2021, ocorreu uma redução de 10% no consumo de água, mesmo com aumento significativo da produção de leite (crescimento de 19%) e da média diária de vacas em lactação (aumento de 15%). Segundo Palhares, há uma relação direta entre o número de vacas em lactação, a produção de leite e o consumo de água. Conforme esses índices variam, o consumo do recurso natural deve alterar.

Nessa propriedade foi verificado o que seria a condição ideal: aumento da quantidade de leite e redução do consumo de água.  Ocorreu uma redução de 21% no consumo por vaca em lactação, ou seja, de 326 litros de água por animal ao dia em 2020 para 255 litros em 2021. Também houve queda no consumo do uso de água por litro de leite: de 14 litros de água por litro de leite ao dia em 2020 para 12 litros de água por litro de leite em 2021.

Em outra propriedade, em Araxá (MG), onde o produtor realiza três ordenhas ao dia e eram necessárias três lavagens do piso da sala de espera e da ordenha, o plano propôs a redução para apenas duas lavagens. Após a ordenha da noite, a recomendação foi fazer somente a raspagem do piso, o que já foi implementado. Essa prática pode ser realizada sem afetar a biosseguridade do rebanho e a segurança física dos animais. A redução do número de lavagens, economiza água, energia e otimiza a mão de obra.

Cargando...