Guerra e sanidade reforçam Brasil como maior exportador de frango

ABPA registrou altas de 10,2% no volume e 31,5% na receita no primeiro trimestre

Por |
Guerra e sanidade reforçam Brasil como maior exportador de frango
08deAbrilde2022ás10:55

As exportações brasileiras de carne de frango aumentaram 10,2% em volume e 31,5% em receitas no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período de 2021.

Em números absolutos, os dados divulgados hoje pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) indicam que o volume total exportado chegou a 1,142 milhão de toneladas de frango (contra 1,036 milhão) e os ingressos a US$ 2,051 bilhões (contra US$ 1,559 bilhão).

Considerando apenas março, os embarques totalizaram 418,8 mil toneladas em março, número 5,7% superior obtido no terceiro mês de 2021, que registrou 396 mil toneladas.

A receita das exportações de março alcançou US$ 771,1 milhões, número 27,8% maior que o resultado registrado no mesmo período do ano passado, de US$ 603,6 milhões.

“O setor brasileiro está reforçando a presença internacional este ano, frente ao quadro favorável às importações no mercado global, que sofre os efeitos dos diversos focos de Influenza Aviária entre os grandes produtores e exportadores”, avalia o presidente da ABPA, Ricardo Santin.

Segundo ele, o fato de nunca ter registrado a enfermidade em seu território se transforma em vantagem competitiva para o Brasil, que tem utilizado o bom fluxo das exportações para compensar as perdas geradas pelas altas históricas nos custos de produção.

China volta a ser principal destino

Depois de os Emirados Árabes terem sido o principal destino em fevereiro, a China volta à liderança das vendas mensais do setor, com importações de 60,3 mil toneladas em março, volume 8,4% superior ao registrado no terceiro mês de 2021, com 55,6 mil toneladas.

Na sequência dos principais destinos estão o Japão (2° lugar) com 39,1 mil toneladas (+10,6%); Emirados Árabes Unidos (3° lugar), com 36,1 mil toneladas (+59,6%), África do Sul (4° lugar), com 33,3 mil toneladas (+11,3%) e México (5° lugar), com 29,2 mil toneladas (+301,9%). 

“Com o conflito no Leste Europeu, o Brasil tem sido cada vez mais chamado a reforçar a sua posição como principal exportador do mundo de carne de frango. Em um momento de escassez da oferta internacional, o Brasil reafirma-se ainda mais como um porto seguro e estável para os mais de 140 países que compram a nossa proteína”, analisa o diretor de Mercados da ABPA, Luis Rua.

Rua argumentou de que prova disto é que praticamente todos os principais destinos de exportação brasileira de carne de frango registraram significativa elevação em suas importações, sendo a China o principal destaque. 

Cargando...