Guerra faz exportação de café solúvel recuar em 4,7% em 2022

Redução foi registrada nos quatro primeiros meses, de acordo com a Abics e prejuízo pode chegar a US$ 100 milhões

Por |
Guerra faz exportação de café solúvel recuar em 4,7% em 2022
17deMaiode2022ás17:22

As exportações de café solúvel registraram queda de 4,7% nos quatro primeiros meses de 2022, de acordo com o relatório estatístico de maio da Associação Brasileira da Indústria de Café Solúvel (Abics). 

Com isso, o número de sacas exportadas entre janeiro a abril deste ano foi de 1.221.603 (com 60 quilos cada), contra 1.282.454 no mesmo período de 2021.

Para a Abics, a queda é reflexo direto da guerra entre Rússia e Ucrânia, tradicionalmente, dois grandes clientes do café solúvel brasileiro e que ocupam, respectivamente, a segunda e a sétima posições no rankings de maiores compradores.

Juntos, os países deixaram de comprar do Brasil, de acordo com relatório, 66.572 mil sacas, entre de janeiro e o fim de abril.  

"As duas nações são responsáveis por praticamente 13% do volume remetido pelo Brasil ao exterior, tendo importado, no ano passado, o equivalente a 534 mil sacas de solúvel, o que gerou uma receita cambial de US$ 94,4 milhões", recorda o diretor de Relações Institucionais da Abics, Aguinaldo Lima. 

Para ele, o conflito no Leste Europeu afeta diretamente o café solúvel nacional, fato que deixa todo o setor “sensível” e “preocupado”.

"A continuidade da guerra poderá gerar grandes prejuízos na cadeia produtiva, afetando produtores e indústrias no Brasil. Considerando o cômputo dos números de Rússia e Ucrânia em nossas exportações de solúvel, conforme o tempo que perdurar o conflito, poderemos pensar em perdas de aproximadamente 500 mil sacas e de menos cerca de US$ 100 milhões em ingresso de divisas neste ano", projeta Lima.

Estados Unidos são principal importador 

No primeiro quadrimestre de 2022, o Brasil exportou seus cafés solúveis para 99 países, sendo os Estados Unidos o principal cliente. Os norte-americanos importaram 234.717 sacas até abril, número que representa 19,2% do total.

A Rússia, mesmo com recuo de 29,5% nas compras, ainda se mantém no segundo lugar, adquirindo 83.806 sacas, ou 6,9% do geral. Na sequência, está a Argentina, com 82.229 sacas (6,7%); seguida por Indonésia, com 72.135 sacas (5,9%); e Japão, com 71.857 sacas (5,9%).

Mercado Interno 

Já o consumo interno de café solúvel no Brasil registrou alta de 1,2%. No período, os brasileiros consumiram o equivalente a 284.239 sacas, acima das 279.519 sacas registradas no primeiro quadrimestre do ano passado. "O desempenho vem ao encontro de nossas expectativas e reflete as ações que a Abics desenvolve, como a campanha 'Descubra Café Solúvel, e a ampliação da variedade de produtos, ofertando qualidade e diversidade aos consumidores", conclui Lima. 

Cargando...