USDA: Brasil e Turquia “herdam” clientes de aves da Ucrânia

Enquanto produção e exportações mundiais andam de lado, ambos os países aumentam resultados

Por |
USDA: Brasil e Turquia “herdam” clientes de aves da Ucrânia
22deAbrilde2022ás11:23

O Relatório Pecuária e Aves do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), divulgado no início deste mês, prevê que o Brasil e a Turquia atenderão os clientes de aves da Ucrânia em 2022, prejudicada pela guerra com a Rússia.

O documento diz que as previsões globais de produção e exportação para 2022 estão praticamente inalteradas em relação ao último relatório, respectivamente, 100,1 milhões de toneladas e 13,4 milhões de toneladas.

Apesar disso, há algumas mudanças relevantes no cenário avícola internacional. Para a maioria dos países, espera-se que os preços mais altos da ração impeçam aumentos na produção, apesar da recuperação econômica prevista, impulsionando o crescimento modesto da demanda.

Avicultura 

Apesar disso, o Brasil aumentará substancialmente a produção de frangos para atender à demanda global desocupada à medida que as exportações de carne da Ucrânia cessarem, alcançando quase 35% de todo o comércio internacional de aves no mundo.

Como consequência, o USDA elevou a previsão para a produção brasileira de aves em 2022 de 14,75 milhões de toneladas para 14,85 milhões de toneladas. Em 2021, o país produziu 14,5 milhões de toneladas.

Da mesma forma, a expansão da produção turca atenderá a demanda regional. Assim, a entidade prevê que a Turquia poderá aumentar seus resultados de 2,246 milhões de toneladas em 2021 para 2,39 neste ano. No mesmo ritmo, o país cobrirá cerca de 5% das exportações globais de aves.

A produção da Rússia crescerá com o aumento da disponibilidade de grãos para alimentação animal, de 4,6 milhões de toneladas para 4,8 milhões de toneladas, mas o produto será direcionado ao mercado interno.

A produção da China está prevista para baixo à medida que a produção de carne suína continua a se recuperar e a produção de frangos de corte amarelos diminui devido aos consumidores mudando para canais de varejo online e modernos. País asiático pode produzir 14,3 milhões de toneladas contra 14,7 milhões de toneladas no ano passado

As importações da Ucrânia, Rússia e Arábia Saudita diminuirão, enquanto o crescimento modesto é esperado para Iraque, Cuba, Reino Unido e México.

Estados Unidos

A produção dos EUA está prevista 1% maior em 2022, já que os preços relativamente altos dos grãos para alimentação animal pressionam os retornos dos produtores e os preços elevados no varejo moderam a demanda do consumidor. As exportações permanecem inalteradas em 3,3 milhões de toneladas.

Embora os Estados Unidos enfrentem restrições por parte de parceiros comerciais devido ao atual surto de Influenza Aviária Altamente Patogênica (HPAI), essas restrições geralmente são limitadas em escopo geográfico em uma zona, município ou estado, em vez de nacional, portanto, o impacto nas remessas para data foram limitadas.

Cargando...