Missão estrangeira quer saber mais sobre etanol

Representantes de oito países estão no Brasil para conhecer mais sobre o biocombustível

Por |
A 'missão do etanol' reúne representantes da América Latina, Ásia e Europa. Crédito: Getty Images.

A 'missão do etanol' reúne representantes da América Latina, Ásia e Europa. Crédito: Getty Images.

26deJulhode2022ás15:11

Durante dez dias, uma missão formada por representantes do governo, do setor privado e da academia de oito países da América Latina, Ásia e Europa cumpre agenda no Brasil para conhecer o processo de produção de etanol e seu uso em tecnologias automotivas. 

A missão é organizada pela Associação Brasileira da Indústria de Cana-de-Açúcar e Bioenergia (Unica), em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil), e visa promover o biocombustível internacionalmente.

Também são parceiros a Representação do Brasil junto aos organismos internacionais em Londres e a Organização Internacional do Açúcar (ISO).

“Estamos muito entusiasmados em receber essa missão internacional, composta por países tradicionalmente produtores de açúcar, que enxergaram no etanol não só a oportunidade de diversificar a produção, como também de enfrentar os desafios da redução de emissões e os problemas de poluição”, afirma o diretor executivo da Unica, Eduardo Leão de Sousa.

A delegação é formada por especialistas da Tailândia, Filipinas, Singapura, Itália, Honduras, Guatemala, Colômbia. Eles irão conhecer os resultados positivos da produção de etanol para a economia do País, para o meio ambiente e para a sociedade.

Desafios e avanços do setor, tecnologia, inovação e marco legal estarão na pauta das reuniões. 

Visitas in loco

Em São Paulo, o grupo realizará visitas técnicas às indústrias dos setores sucroenergético e automotivo, ao Centro de Tecnologia Canavieira (CTC), à Apla (Arranjo Produtivo Local do Álcool) e à Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo (ESALQ/USP).

Também estão previstos encontros com representantes do governo brasileiro, em Brasília.

“Mostrar como processamos a cana-de-açúcar em nossa indústria tem um impacto muito forte sobre as pessoas dessa missão internacional, que também são formadores de opinião, além de especialistas no tema”, disse o embaixador Marco Farani, da Representação do Brasil em Londres.

Ele destacou também as oportunidades de emprego que são geradas com a produção de etanol, ao mesmo tempo em que se produz uma alternativa limpa e renovável de energia.

O etanol é uma energia limpa, comprovada e testada, resultado de muitos anos de investimento em pesquisa no Brasil.

O País possui, atualmente, cerca de 360 usinas de etanol, que produzem biocombustível a partir da cana-de-açúcar e do milho. Essa cadeia produtiva emprega cerca de 2,4 milhões de pessoas direta e indiretamente.

Cargando...