Cerrado Mineiro celebra 1 milhão de sacas vendidas com IG

Selo permite rastreabilidade e diferenciação da produção da região

Por |
Em 2022, a cafeicultura da região do Cerrado Mineiro completa 50 anos. (Foto: Divulgação ABIC)

Em 2022, a cafeicultura da região do Cerrado Mineiro completa 50 anos. (Foto: Divulgação ABIC)

04deAgostode2022ás16:41

Os cafeicultores do Cerrado Mineiro comemoraram em julho a marca de um milhão de sacas comercializadas desde o reconhecimento do selo de Denominação de Origem e Qualidade, em 2013.

A informação é do Jornal do Café, da Associação Brasileira da Indústria do Café (ABIC), em texto publicado ontem no site da instituição (dia 3).

O feito foi atingido após o embarque de 320 sacas de café da Cooperativa dos Cafeicultores do Cerrado para o Japão, no último dia 25. 

Em entrevista à ABIC, o superintendente da Federação dos Cafeicultores do Cerrado, Juliano Tarabal, disse que o feito simboliza um grande passo para a consolidação da produção local.

“Este volume também representa um crescimento na demanda do mercado e o reconhecimento da Região, que, hoje, comercializa seu café para todos os continentes e mais de 30 países.”

50 anos

Em 2022, a cafeicultura da região do Cerrado Mineiro completa 50 anos. Atualmente, é responsável por 12,7 %da produção nacional do grão , reunindo 4.500 cafeicultores distribuídos por 55 municípios.

“O produtor é o grande responsável pelo sucesso do café dessa região, pois é ele quem emprega sua competência na produção e na qualidade deste produto que tornou o território famoso”, valorizou Tarabal.

O selo de Denominação de Origem é um dos registros de indicação geográfica e serve para assegurar a procedência de um produto. No caso do café, ele também ajuda o consumidor a identificar as características do grão, que são exclusiva da região de cultivo.

O Cerrado Mineiro foi a primeira região cafeeira do país a conquistar essa IG.

Cargando...