Bom Futuro chega a 40 anos como Top 3 da agricultura no Brasil

Grupo soma cerca de 615 mil hectares, 445 caminhões e 109 mil cabeças de gado; veja outros números

Por |
Bom Futuro chega a 40 anos como Top 3 da agricultura no Brasil
03deJunhode2022ás15:53

Tido como um dos maiores grupos agrícolas do Brasil, a Bom Futuro completou, nesta semana, 40 anos no Mato Grosso. A jornada da família Maggi Scheffer começou exatamente em 2 de junho de 1982 com o arrendamento de uma fazenda de 2 mil ha em Rondonópolis e, hoje, são cerca de 615 mil ha.

Segundo a assessoria de imprensa do Grupo Bom Futuro, quando a família Maggi Scheffer chegou a Mato Grosso vinda de São Miguel do Iguaçu, no Paraná, não imaginou que quatro décadas depois seria proprietária de uma das maiores empresas do agronegócio do Brasil.

No início, os irmãos Maggi Scheffer para auxiliar o tio André Maggi na fazenda Bom Futuro. Com o tempo, adquiriram a área e usaram o nome para o grupo empresarial. Ano após ano, apostaram na aquisição de novas áreas, diversificaram culturas e investiram em tecnologia e novos negócios.

Gigantes do agro

A Bom Futuro é formada por mais de oito mil colaboradores, distribuídos em 35 unidades administrativas e o escritório central em Mato Grosso. São mais de 615 mil hectares de áreas de agricultura, cultivando soja, milho e algodão.

Atualmente, a empresa tem um dos maiores projetos de integração lavoura-pecuária-floresta do mundo, chegando a mais de 109 mil cabeças de gado no final de 2021. É o terceiro segmento com maior faturamento da Bom Futuro.

Na piscicultura, a empresa tem três mil toneladas de peixes em 250 hectares de lâmina d’água. As espécies cultivadas são tambaqui, pintado, tambatinga, piauçu e tilápia.

A divisão de Energia da Bom Futuro completa 15 anos em 2022 e consolida a relevância dos investimentos em energia limpa e renovável com a aquisição dos ativos da Hydria. As cinco PCHs totalizam 91,4 MW de capacidade instalada e unem-se a outros seis empreendimentos da empresa, gerando mais de 130 MWh de energia de capacidade instalada.

No setor de transporte, a empresa tem 445 caminhões, sendo 334 com carretas graneleiras, 93 com carretas rodo caçambas e 18 com carretas boiadeiros. Há ainda investimentos no setor imobiliário e em sementes.

Comemoração

Na comemoração pelas quatro décadas de história, na sede da empresa em Cuiabá, o acionista Eraí Maggi Scheffer contou aos colaboradores presentes na cerimônia sobre as dificuldades e etapas vencidas ao longo dos anos.

“Depois de todo esse início, a Bom Futuro cresceu como fermento para todos os lados. Chegamos até aqui porque tivemos dificuldades e aprendemos muito. Investimos especialmente em pessoas desde o começo. Tem gente que acha que a Bom Futuro tem velocidade, que as coisas acontecem rápido, mas nós temos é estratégia para fazer bons negócios”, afirmou.

Dona Luzia Maggi Scheffer, a matriarca da família, foi lembrada pela filha Marina. “Nossa mãe teria muito orgulho de ver toda essa comemoração, ela também participou da construção de tudo aqui. Meu pai não pode ver o que construímos, mas sei que estaria orgulhoso também”.

A celebração foi cheia de momentos de emoção, ressaltando especialmente que a Bom Futuro é uma família formada por pessoas que compartilham o mesmo propósito e que o resultado de um é resultado de todos. Diretores e colaboradores foram lembrados e saudados pelos trabalhos prestados.

A nova geração também fez sua homenagem aos acionistas que trabalharam durante 40 anos para transformar a Bom Futuro. Antônio e Luiz Antônio, filho e neto de Eraí e Mari, Rayssa, filha de Elusmar e Solange, Maria Julha, filha de Fernando e Lucimar, e Rafael, filho de Zeca e Marina, deram seus depoimentos enaltecendo a garra e persistência dos pais no trabalho.

 

Cargando...