Batata, cebola, tomate e cenoura ficam mais baratos no atacado

Boletim divulgado hoje pela Conab traz sobe e desço dos preços de hortaliças e frutas do mês passado

Por |
Batata, cebola, tomate e cenoura ficam mais baratos no atacado
19deJulhode2022ás14:02

Os preços da batata, cebola, cenoura e tomate caíram no atacado no mês de junho, de acordo com 7º Boletim do Programa Brasileiro de Modernização do Mercado Hortigranjeiro (Prohort).

Divulgado hoje (dia 19), o levantamento realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) aponta queda nos preços dos quatro itens, que estão entre os preferidos da população, no mês passado.

A batata, por exemplo, chegou a registrar queda de 56,19% no Distrito Federal. Trata-se do segundo mês consecutivo, com os preços em redução e depois da alta no início do ano.

As boas condições de produção da safra da seca e o clima favorável para a colheita do tubérculo propiciaram bons níveis de oferta, de acordo com a Conab.

Já a cebola, diante do aumento da oferta por conta da pulverização da produção, teve queda no preço de até 27% em Goiás. No Nordeste, principalmente Bahia e Pernambuco, a redução média foi de 18%, contra 17% em Minas Gerais e 13% em São Paulo.

No caso da cenoura, a entrada de produto registrada no mercado foi suficiente para atender a demanda, sendo a redução menos expressiva, em torno de 5% se comparada com os valores de maio.

Oferta de tomate em alta

Para o tomate, a safra de inverno, abastecedora dos mercados atualmente, vem ganhando força em todas as regiões produtoras, o que possibilita o movimento descendente de preços na maioria das praças consultadas.

Exceção foram as ceasas do Nordeste, Recife e Fortaleza, onde o aumento de preço foi provocado pelas menores ofertas da própria região.

A maior redução da fruta foi registrada em Rio Branco, onde o valor caiu em 50,4%.

Frutas também tiveram redução

Seguindo o comportamento registrado pelas hortaliças, as frutas também apresentaram queda no preço em junho.

Influenciada pela maior quantidade da fruta nas lavouras aliada a uma oscilação da comercialização nas Ceasas, a laranja, por exemplo, teve redução de 11,4% em São Paulo; 10,9% em belo Horinzonte e 18,3% em Brasília.

 Na contramão, banana e mamão registraram aumento nos preços praticados. A queda nas temperaturas refletiu na diminuição da disponibilidade da banana, atrasando a maturação e comprometendo a qualidade e o tamanho das frutas em algumas das principais regiões produtoras do país.

Para o mamão, houve o registro de menor quantidade comercializada nos entrepostos atacadistas devido ao maior controle de oferta nas principais regiões produtoras, influenciando na alta.

A maior alta ocorreu em São Paulo, de 46,6%.

O Prohort analisa a comercialização exercida nos entrepostos públicos de hortigranjeiros, que representam um dos principais canais de escoamento de produtos in natura do país. 

Nesta edição, foram compilados os dados estatísticos das Centrais de Abastecimento localizadas em São Paulo/SP, Belo Horizonte/MG, Rio de Janeiro/RJ, Vitória/ES, Curitiba/PR, Goiânia/GO, Brasília/DF, Recife/PE, Fortaleza/CE e Rio Branco/AC.

Cargando...