São Paulo eleva em 0,7% previsão da safra 21/22

Segundas safras de milho, amendoim e algodão são destaques do novo relatório

Por |
Números reafirmam São Paulo como 8º maior estado produtor de grãos. Crédito: Faesp.

Números reafirmam São Paulo como 8º maior estado produtor de grãos. Crédito: Faesp.

21deJulhode2022ás10:24

 A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (Faesp) divulgou nesta quarta (dia 20) nova previsão de aumento da safra, agora de 19,53% com relação ao ciclo 2020/2021. A estimativa de produção foi elevada para 10,33 milhões de toneladas.

A revisão, feita após o 10º levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), aponta para um aumento de 0,7% na comparação com as estimativas anteriores, o que representa uma alta de 72,2 mil toneladas.

“O levantamento mostra que a agricultura paulista, a despeito de desafios macroeconômicos, como os juros altos, continua a crescer e desempenhar um papel relevante”, afirmou o presidente da FAESP, Fábio de Salles Meirelles.

Ainda de acordo com relatório, a área plantada com grãos soma 2,52 milhões de hectares, um crescimento de 4,85% frente ao ciclo 2020/21 e a produtividade média esperada é de 4.109 kg/ha, um ganho de 14,01%.

Com esses resultados, a FAESP destaca que São Paulo se mantém como 8º maior estado produtor de grãos. 

Milho, amendoim e algodão são destaques

As estimativas mais positivas do relatório concentram-se nas segundas safras de milho e amendoim e algodão.

Favorecido pelas condições climáticas neste ciclo, o cultivo de amendoim segunda safra em São Paulo registrou crescimento de 14,3% na comparação com o levantamento anterior, elevando para 2.400 kg/ha as projeções de rendimento dessas lavouras.

A produção é agora avaliada em 8,20 mil toneladas, incremento de 1,6 mil toneladas ou 24,2% frente à safra anterior.

O impacto também é positivo na segunda safra de milho, que cresceu 79,5 mil toneladas do último levantamento para este. Com a revisão, a estimativa é de uma produção de 2,48 milhões de toneladas de milho safrinha em 2020/21, contra 2,40 milhões de toneladas previstas no relatório anterior (+3,31%).

Na comparação com a safra anterior, o crescimento é de 73,60%, considerando que foram colhidas 1,43 milhão de toneladas de milho. O aumento na produtividade é de 66,9%, atingindo 4.339 kg/ha neste ciclo.

Com isso, a produção total de milho deve atingir 4,39 milhões de toneladas.

Já para o caroço de algodão, avalia-se uma produção de 24,9 mil toneladas, indicativa de um crescimento de 118,42% entre safras. Houve um ganho de 20,6% em produtividade, agora prevista para 2.928 kg/ha.

As lavouras de trigo e triticale, por outro lado, tiveram suas previsões reduzidas em 11,6 mil toneladas e 700 toneladas, respectivamente, do 9º levantamento para o atual.

A produção de trigo é projetada em 283,3 mil toneladas, ganho de 11,3% frente aos resultados de 2020/21, enquanto a produção de triticale deve se manter no mesmo nível da última safra, de 9,7 mil toneladas.

Cargando...