Colheita de milho faz preço do frete subir em até 67%

Expectativa de colheita recorde faz prestadores migrar para o Centro-Oeste

Por |
Elevação no preço do ferte Mato Grosso, onde a colheita está mais avançada, chega a 50%. Crédito: Getty Images.

Elevação no preço do ferte Mato Grosso, onde a colheita está mais avançada, chega a 50%. Crédito: Getty Images.

21deJulhode2022ás13:56

A colheita do milho segunda safra no Centro-Oeste, iniciada em junho, responde pela alta no frete de até 67%, dependendo da origem/destino, de acordo com boletim Logístico da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgado hoje (dia 21).

O relatório da Conab aponta a migração dos prestadores de serviços para região onde a colheita se intensifica, fato que, somado à elevação no preço do diesel, reduz a oferta de caminhões e eleva o preço.

Ainda de acordo com a Conab, a colheita da segunda safra de milho 2021/22 atingiu, na última semana de junho, 28% da área semeada, indicando que a alta será mantida nos próximos meses.

Mato Grosso já colheu 45%

O Mato Grosso é o estado em estágio mais avançado, com estimativa de já ter colhido 45% da área total. Já a previsão de produção é 40.863,9 mil toneladas, número que representa 46,2% do total previsto para a segunda safra nacional.

E não por coincidência, justamente no estado o valor do frete rodoviário apresentou elevação em todas as praças, já no mês de junho, segundo estudo da Conab. Em alguns trechos, a elevação chegou a 50%.

As altas mais expressivas foram identificadas nos trajetos com destino aos portos de Santos, Santarém e Paranaguá, também utilizadas para atender contratos de exportação e o escoamento da safra de soja.

Segundo a Conab, o fato da safra do milho seguir em pleno curso deve manter os preços elevados em julho, decorrente do conflito entre o escoamento da safra de soja e a colheita recorde de milho. 

Outros estados

Em Mato Grosso do Sul, o mercado de fretes em junho também apresentou variações significativas nos preços praticados em quase todas as praças acompanhadas. A soja teve grande movimentação, tanto para exportação quanto para o mercado interno, mas o aumento no ritmo da colheita do milho segunda safra no estado vizinho acabou por diminuir a oferta de veículos locais, segundo a Conab.

Em Goiás, a colheita da segunda safra de milho encontra-se ainda na fase inicial e há pouca movimentação das transportadoras, mas nos municípios acompanhados pela Conab já se observa maior deslocamento para a exportação de soja.

Na região, os fretes para as rotas acompanhadas, partindo de Catalão e Cristalina/GO, subiram em média 15% com elevações maiores nas duas rotas de Minas Gerais.

E no Paraná, a redução dos veículos aliada aos contratos de exportação a serem cumpridos e movimentação para o esvaziamento dos silos para recepção da safra de milho, fez os preços subirem até 67% (dependendo de origem e destino).

O relatório completo está disponível no site da Conab.

Cargando...