Relação de troca: para avicultores, milho está mais vantajoso

Em comparação com o farelo de soja, cereal está “rendendo” quase o dobro por quilo do frango

Por |
Foto: CNA Brasil.

Foto: CNA Brasil.

22deJulhode2022ás17:10

Em julho, o poder de compra do avicultor frente ao milho e ao farelo de soja acompanhou a movimentação dos preços dos insumos, de acordo com dados divulgados nesta sexta-feira, pelo Centro de Estudos Avaçados em Economia Aplicada (Cepea/USP).

Assim, enquanto as quedas nas cotações do milho permitem melhora na relação de troca ao avicultor, a valorização registrada para o farelo resulta em menor poder de compra frente a esse insumo.

Conforme cálculos do Cepea, no mercado de frango vivo, apesar das altas pontuais na primeira quinzena, os preços médios de julho ainda são menores que os de junho, pressionados pela baixa liquidez da carne no mercado doméstico nesses últimos dias.

Milho pressiona cotações

O bom ritmo da colheita da segunda safra de milho e a maior oferta do cereal pressionam as cotações em julho, enquanto para o farelo de soja, os preços estão em movimento de alta neste mês, devido às maiores demandas interna e externa pelo derivado.

Assim, considerando-se o vivo negociado no estado de São Paulo e o milho vendido em Campinas/SP (segundo Indicador ESALQ/BM&FBovespa), na parcial deste mês (até o dia 20), é possível ao avicultor paulista adquirir 4,33 quilos do cereal com a venda de um quilo de frango, quantidade 1,4% maior que a de junho e 21,9% acima da de julho/21.

Já na comparação com o farelo de soja, também na região de Campinas, é possível ao produtor a compra de 2,29 quilos com a venda de um quilo do animal na parcial do mês, 8% a menos que em junho e 9,1% abaixo da quantidade observada em julho de 2021. 

Cargando...