Governo concedeu mais de 370 mil títulos de terra desde 2019

Número foi revelado pelo diretor do Mapa, Luís Rangel

Por |
“De uns tempos para cá, nós temos privilegiado pequenos e médios agricultores". (Foto: Agência Brasil)

“De uns tempos para cá, nós temos privilegiado pequenos e médios agricultores". (Foto: Agência Brasil)

04deAgostode2022ás11:08

Somente nos últimos três anos, o governo federal concedeu mais de 370 mil títulos de terra para famílias de agricultores brasileiros, de acordo com o diretor de programas do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Luis Rangel.

A informação foi revelada ontem (dia 3), durante entrevista para o programa Voz do Brasil.

Segundo Rangel, a titulação da terra coloca, de fato, o produtor no ambiente rural, possibilitando, por exemplo, que a família tenha acesso ao crédito.  

“Esse trabalho é fundamental uma vez que é a partir da primeira etapa da regularização fundiária, que é o assentamento, até a chamada titulação, que trazemos esses pequenos produtores para o ambiente rural de fato. E isso contribui muito para a produção nacional."

Plano Safra 2022/2023

Na entrevista, Rangel falou também sobre outras ações do governo para beneficiar os pequenos produtores brasileiros, entre elas o Plano Safra.

“De uns tempos para cá, nós temos privilegiado pequenos e médios agricultores. Destinamos a grande maioria desses recursos a essa faixa de produtores”, disse.

Rangel explica que cerca de 70% dos recursos do programa vão para o que se chama custeio, que é o custo com insumos, defensivos, fertilizantes e sementes, entre outros.

Os agricultores têm acesso ao crédito por meio de bancos como a Caixa e o Banco do Brasil.

Outra ação de apoio à agricultura familiar citada é a compra da produção, onde o governo garante a aquisição dos alimentos. Muitas vezes, o destino é a doação simultânea para escolas, creches e unidades prisionais, por exemplo. “Nós estimulamos que esse ciclo se feche dentro do pequeno ciclo regional.”, disse.

Rangel ainda falou sobre outros temas como exportação, desperdício e pandemia.

 

Cargando...