As novas fronteiras de mercado para o agro brasileiro

Brasil atende mais de 200 países com o comércio de produtos da agropecuária

Por |
As novas fronteiras de mercado para o agro brasileiro
25deAbrilde2022ás11:25

Expandir as fronteiras de mercado do agro brasileiro para mais de 200 mercados: essa tem sido uma das principais metas do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) desde 2019.

O objetivo, enfim, foi conquistado com a abertura do Canadá para a compra de carnes bovina e suína produzida no Brasil. O anúncio, feito em março, elevou para exatos 201 mercados que o agro brasileiro passa a atender.

A conquista de mercados como esse são surpreendentes, assim como são surpreendentes os números que a pasta tem apresentado. Segundo o Mapa, só este ano foram abertos 15 novos mercados. Outros 77 foram registrados em 2021, e 74 em 2020. Em 2019, 35 mercados entraram para a lista de exportação do Brasil. Ao todo, são 201 mercados desde 2019 atendendo 51 países.

O grande benefício que isso traz para o país é justamente um reforço para a economia nacional. Mais exportações trazem mais dinheiro novo em circulação, promovendo mais investimentos e permitindo a abertura de postos de trabalho, o que leva a melhoria da renda da população.

No ano passado, o agro brasileiro bateu um novo recorde sobre o faturamento de exportação, com R$ 120,6 bilhões. O salto foi de 19,7% em comparação com o resultado do comércio exterior do agro em 2020. Foi justamente em 2018 que as commodities do campo ultrapassaram a barreira de dois dígitos de faturamento, atingindo US$ 101,2 bilhões. A alta foi de 5,4% em comparação com a receita de US$ 96 bilhões em 2017.

A tendência é que esses resultados cresçam ainda mais de agora em diante, por conta dessas novas fronteiras de destino de mercadorias do agro. E as possibilidades são gigantes, pois a demanda não está concentrada somente em commodities tradicionais como carnes e grãos como a soja e o milho.

A pauta de exportação de frutas também deve ganhar mais fôlego, assim como o comércio de material genético de animais, derivados lácteos, pescados, subprodutos de origem animal, chás e demais categorias de produtos do agro. O produtor brasileiro deve estar atento a essas oportunidades e estar devidamente preparado para atender esses mercados, pois o faturamento é certo.

Cargando...