Conab inicia venda de 2,1 mil toneladas milho a pequenos produtores gaúchos

Estoque reforça unidade do munícipio de Marau, no Rio Grande Sul, e permite compra do grão a preços de mercado

Por |
Conab inicia venda de 2,1 mil toneladas milho a pequenos produtores gaúchos
14deJunhode2022ás16:37

A Companha Nacional de Abastecimento (Conab) inicia nesta quarta (dia 15), na unidade armazenadora de Marau (Rio Grande do Sul) a venda de 2,1 mil toneladas de milho para pequenos e médios produtores cadastrados no Programa de Venda em Balcão (ProVB).

De acordo com a Conab, trata-se de uma remessa de reforço para a região, uma vez que a unidade estava sem estoque - ainda que fosse possível comprar em unidades de outros munícipios.

O ProVB é destinado aos pequenos e médios criadores – sejam suinocultores, avicultores, bovinocultores, caprinocultores, ovinocultores, bubalinocultores (búfalos) e coturnicultores (codornas) – e visa garantir o acesso aos estoques do Governo a preços de mercado. 

A ideia é possibilitar igualdade nas condições negociadas pelos médios e grande criadores.

Nova Lei 

A Lei nº 14.293, de 4/1/2022, publicada pelo Governo Federal em janeiro, define o acesso de pequenos criadores de animais ao milho comercializado pela Conab. De acordo com a legislação, podem participar do programa criadores que tenham até 10 módulos fiscais e registro no Sistema de Cadastro Nacional de Produtores Rurais (Sican), disponível no portal da Conab. 

Os dados cadastrais devem ser atualizados anualmente e o cadastro permite o acesso mensal aos estoques públicos, de acordo com o seu plantel.

Para ter acesso ao ProVB também é necessário ter a Declaração de Aptidão ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (DAP) ativa ou que atendam a critérios equivalentes.

Contrato a Termo

E já que o assunto é milho, a Conab apresentou nesta terça,  durante a reunião da Comissão Nacional de Pecuária de Leite, da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), detalhes da modalidade de compra futura do grão, lançada no mês passado.

A medida, chamada Contrato a Termo, permite aos pecuaristas do país a compra futura de milho para uso na ração - para garntia do estoque, por exemplo. No encontro, foram feitas algumas simulações de operações em diferentes estados, para melhor exemplificar como é feita a comercialização aos produtores participantes.

“O planejamento de compra e venda de insumos vem sendo amplamente discutido pelo setor pecuarista, e as operações futuras se apresentam como uma excelente possibilidade logística”, explicou o superintendente de Logística Operacional da Conab, Thomé Guth.

Ele ainda destacou que: “O Contrato a Termo é uma modalidade de comercialização que pode reduzir os riscos de preços para os dois lados da cadeia produtiva, tanto para os pecuaristas quanto para os agricultores ”.

A modalidade Contrato a Termo faz parte dos modelos de negócio eletrônico ofertados pela Companhia na plataforma Leilão pra Você. 

Cargando...